F R A S E

SÃO OS COMUNISTAS OS QUE PENSAM COMO OS CRISTÃOS” - Papa Francisco

sábado, 14 de agosto de 2010

Por que mudam?


Não estou falando de mudanças tecnológicas ou coisa que o valha. Mas de mudança de conceitos, compreensões acerca de fatos, atos, fenômenos. Pergunto-me, embora desconfie de que sei a resposta. Ou respostas. E não são mudanças ditadas pelo tempo. Claro que ele é fundamental pra que ocorram e sejam percebidas. Mas nem precisa ser longo.

Por exemplo: sou do tempo em que ser funcionário de empresas públicas federais, como o Banco do Brasil ou a Caixa Econômica (Federal), era um sonho almejado por significativa parcela da classe média brasileira. Afinal, conferia-lhes reconhecimento profissional, remuneração digna, boas condições de trabalho, plano de assistência médica, etc. Os pais incentivavam os filhos a estudar para alcançarem êxito nos difíceis e respeitados concursos públicos. O país se orgulhava de suas existências, de sua importância para o desenvolvimento, do patrimônio público que representavam. Algum tempo depois, entretanto, sem que nada de substancial mudasse, esses empregos passaram a traduzir para a mídia grande sinônimo de regalias despropositadas, privilégios indecorosos, salários astronômicos. E as empresas públicas passaram a ser comparadas a dinossauros, escoadouro de dinheiro público, atraso, ineficiência e por aí vai.

Tempo vai, tempo vem, eis que as até então repudiadas empresas públicas e seus funcionários voltam a ser valorizados, reconhecida a sua importância para a economia do país. A mídia grande meio que parece ter pedido seu discurso vazio. O que mudou?

Sou do tempo, também, em que os brasileiros que lutaram contra a ditadura brasileira eram respeitadíssimos. Milhares foram torturados, centenas morreram nos porões dos sistemas construídos pela repressão. Pessoas que deram a própria vida por um ideal, invariavelmente um ideal que criam mais justo, humano, digno. Nesse nosso mundo moderno, de predomínio absoluto da individualidade e do egoísmo, a lembrança desse passado é algo que nos enche de orgulho e brio. Mas... Hoje, sabe-se lá porquê (ou sabemos?), aqueles que lutavam contra o governo militar são terroristas para a mídia grande. São terroristas aqueles que afogavam a covardia e até pegavam em armas para lutar contra a repressão, a tortura, a prisão sem mandato judicial, a prisão das mentes e das idéias contrárias ao status quo. Mas há um alento...

O alento é que o povo brasileiro vem demonstrando ter aprendido a pensar com sua própria cabeça. O que mudou? Isto parece ser o que mudou.
_______________

Nenhum comentário: