F R A S E

SÃO OS COMUNISTAS OS QUE PENSAM COMO OS CRISTÃOS” - Papa Francisco

sábado, 31 de dezembro de 2011

28 dados sobre Cuba ignorados pelo Jornal Nacional e seus papagaios


É com muita satisfação que encerro as postagens deste ano com o providencial texto de Omar Pérez Solomon, abaixo, traduzido por Robson Luiz Ceron, postado originariamente nos sítios Solídários & Síntese Cubana, e para aqui extraídos de Pragmatismo Político.
Feliz 2012! Com saúde, paz e boas lutas!

28 dados que mostram a força de Cuba, mas propositalmente dispensados pela imprensa hegemônica

"Como já dissera o escritor e jornalista uruguaio, Eduardo Galeano, quando se trata de Cuba, a grande imprensa, 'aplica uma lupa enorme que amplia tudo o que ocorre, sempre que há interesses dos inimigos, chamando a atenção para o que acontece na Revolução, enquanto a lupa distrai e deixa de mostrar outras coisas importantes'.

Entre essas coisas importantes, que não são apontadas pelas lupas, chamo a atenção para 28 dados, que mostram a força de Cuba, na véspera de seu aniversário de 53 anos.


quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Brasil: a 6ª economia mundial. Hein?




Ainda nas primeiras horas de ontem, 26, soube do extraordinário fato. O meu país, cujas desigualdades sociais vêm se reduzindo “como nunca antes”, cujo crescimento se mantém a despeito das maiores crises econômicas mundiais desde 1929, que reduziu a miséria a níveis “nunca antes vistos” (e que pretende exterminá-la), que inseriu milhões de pobres na classe média, que elegeu presidente, por duas vezes, um ex-operário que não gosta de ler (mas que sabe ler a alma e as necessidades de seu povo, como poucos), e que fez uma mulher o seu sucessor (ambos maciçamente aprovados pelo eleitorado), que vem apresentando, nos últimos 09 anos, os melhores índices econômicos e sociais da nossa história, e que resgatou a auto-estima da imensa maioria do povo brasileiro havia ultrapassado o Reino Unido e se tornado a 6ª maior economia mundial.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Transparência e mau-olhado


Por Nirlando Beirão, em Carta Capital
A se tomar cultura no sentido amplo que lhe dão os antropólogos – o conjunto de representações simbólicas com as quais se identifica determinado grupo – o câncer do Lula é o acontecimento cultural do Brasil em 2011. Nunca antes neste País uma doença teve o condão de revelar tantos significados emblemáticos e tantas patologias sociais.
Subjacente ao drama pessoal do ex-torneiro mecânico tornado presidente da República reavivam-se crendices, mitos, a mesma intolerância, a mesma intransigência que vêm espreitando cada ato da longa trajetória política de Lula, fazendo borbulhar no caldeirão das mentalidades, elas, sim, -doentias, um vingativo contentamento – como se, da mesma forma como ocorre em certos crimes hediondos, a culpa pudesse ser da vítima.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

PIB do Brasil ultrapassa o do Reino Unido

Pois não é que o Brasil, do governo Dilma, é agora o 6º PIB do mundo?!

Mais: foi o primeiro país fora da Europa a ultrapassar o PIB do Reino Unido.

A informação está lá, nos jornais britânicos. É só conferir.

Fico imaginando se fosse no governo do desemprego e da Privataria Tucana...

Mídia decide pela não-existência do livro

Por Washington Araújo, no Observatório da Imprensa

É de causar espanto a desfaçatez com que a informação, que deveria fluir livremente – e por todos os poros –, tem que atravessar um imenso deserto midiático para conseguir chegar ao receptor final. E o quem é o receptor final? Oras, é o seu José Silva, professor aposentado, ou Maria das Dores, a estudante que se prepara para fazer concurso público, ou Alexandre Santos, o desempregado em mais uma das intermináveis filas do banco. Enfim, o receptor final é qualquer quer cidadão ou cidadã, qualquer pessoa que tenha – ainda – o hábito de ler jornal.

O caminho da informação só não é completo para as pessoas comuns: para os do andar de cima, para os que se sentem o ornamento maior da importância social, os tais formadores de opinião e os engravatados da imprensa, a informação sempre esteve ali, clara, fácil de acessar, recebida em tablets e em “celulares espertos” (smartphones). É nesse contexto de perplexidade profissional e incredulidade mental que acompanho o lançamento do livro mais ignorado em terra brasilis desde o seu descobrimento, no distante 1500. Claro que me refiro ao Privataria Tucana, do colega Amaury Ribeiro Jr., publicado pelo selo editorial Geração Editorial, de meu amigo Luiz Fernando Emediato e, para completar a informação, lançado exatamente no dia 9 de dezembro, esse dia escolhido pelas Nações Unidas para ser o Dia Mundial Contra a Corrupção.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

CPI da Privataria Tucana - Dep Federais/AL que assinaram a lista (e que não)


Nesta data foi dada entrada na Câmara dos Deputados, por iniciativa do Deputado Federal pelo PCdoB, Protógenes Queiroz, proposição de abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito com vistas à apuração das denúncias constantes do livro "A Privataria Tucana", do jornalista Amaury Ribeiro Jr.

Colhidas e conferidas, a lista é composta pela assinatura de 185 deputados federais, 14 a mais do que o necessário.

Dos 09 deputados federais por Alagoas, apenas 03 a assinaram. São eles:

GIVALDO CARIMBÃO - PSB
MAURÍCIO QUINTELLA LESSA - PR
RENAN FILHO - PMDB

Não a assinaram (logo, são contra a criação da CPI da Privataria Tucana):

BENEDITO DE LIRA - PP
CARLOS ALBERTO CANUTO - PSC
ANTÔNIO CARLOS CHAMARIZ - PTB
FRANCISCO TENÓRIO - PMN
AUGUSTO FARIAS - PTB
JOAQUIM BELTRÃO - PMDB
OLAVO CALHEIROS - PMDB

É,... Mais de 2/3 dos nossos ilustres Deputados Federais não querem saber de investigar a meladeira! Dá-lhe Alagoas!


sábado, 17 de dezembro de 2011

O livro e a imprensa grande


Nada como uma imprensa rigorosamente livre, até praticamente irresponsável no exercício dessa liberdade, para investigar os desmandos praticados à surdina na administração pública, notadamente aqueles patrocinados pelos políticos brasileiros. Aliás, somos cracks (ops, craques) no chamado jornalismo investigativo. Daí que quando se fala em definir alguma regulamentação para a liberdade de imprensa, sou contra. Afinal, embora essa regulação exista nos países mais avançados do mundo (inclusive no idolatrado EUA), para que regular aqui, onde há um primor de imparcialidade e honestidade?

Veja-se, por exemplo, o caso do ex-ministro Orlando Silva. O negro, nordestino e comunista Orlando foi defenestrado do Ministério dos Esportes porque um policial militar resolveu vomitar tudo o que sabia (sabia?) a respeito de certas falcatruas atribuídas ao referido baiano.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

A Privataria Tucana - O vídeo da década - Por Amaury Ribeiro Jr. - Parte 1

Privataria Tucana - O maior escândalo de corrupção da história do Brasil


Por LEN, no Ponto&Contraponto
http://pontoecontraponto.com.br
Os processos de privatização ocorridos no governo FHC, sobretudo os das teles, sempre foram contestados. Favorecimentos de concorrentes por parte dos tucanos, utilizando fundos de pensões aparelhados, foram revelados com os grampos “fogo amigo” do BNDES, mas, até hoje, quase quinze anos depois, não se sabia ao certo qual a forma de retribuição dos corruptores aos corrompidos. Com um Procurador-Geral da República disposto a engavetar todas as denúncias contra o governo e a imprensa no bolso, a impunidade estava garantida.
O livro do Amaury Ribeiro Junior, “Privataria Tucana”, vem revelar o modus operandi do que já pode ser considerado o maior escândalo de corrupção da história do país, que envolve o governo federal, grandes corporações financeiras e a imprensa com a prática de crimes de corrupção ativa e passiva, favorecimento ilegal, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, enriquecimento ilícito e invasão de privacidade, associado a desvio de dezenas de bilhões dos cofres públicos.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

O SUS, Cuba, a mídia. E a gente

http://blogsintesecubana.blogspot.com
Quantos países com mais de 100 milhões de habitantes dispõem de um sistema público e gratuito de saúde? Só o Brasil. Então os EUA, por exemplo, não têm o seu SUS? Não. Não dispõem de nada sequer parecido. Os pobres de lá ― e já são 46 milhões ―, estão entregues à própria sorte. Tá, mas no SUS certamente doenças graves, cujo tratamento seria muito custoso na rede privada de saúde, não são tratadas! Não, também. Pacientes com câncer, por exemplo, são tratados pelo SUS. O Brasil, aliás, é o único país do mundo ― do mundo(!) ― que trata, gratuitamente, a esclerose múltipla. Mais: distribui, com o dinheiro dos impostos de que tanto reclamamos o pagamento, todos os remédios para todas as doenças incuráveis do país. Ôxe, e por que a nossa mídia tupiniquim não valoriza o SUS? Por que nós mesmos somente criticamos o SUS, mesmo que em alguma vez na vida já tenhamos sido por ele atendidos?

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Eu, o SUS, a ironia e o mau gosto


Por Nina Crintzs, no PurpleSofa
"Há seis anos atrás eu tive uma dor no olho. Só que a dor no olho era, na verdade, no nervo ótico, que faz parte do sistema nervoso. O meu nervo ótico estava inflamado, e era uma inflamação característica de um processo desmielinizante. Mais tarde eu descobri que a mielina é uma camada de gordura que envolve as células nervosas e que é responsável por passar os estímulos elétricos de uma célula para a outra. Eu descobri também que esta inflamação era causada pelo meu próprio sistema imunológico que, inexplicavelmente, passou a identificar a mielina como um corpo estranho e começou a atacá-la. Em poucas palavras: eu descobri, em detalhes, como se dá uma doença-auto imune no sistema nervoso central. Esta, específica, chama-se Esclerose Múltipla. É o que eu tenho. Há seis anos.
Os médicos sabem tudo sobre o coração e quase nada sobre o cérebro – na minha humilde opinião. Ninguém sabe dizer porque a Esclerose Múltipla se manifesta. Não é uma doença genética. Não tem a ver com estilo de vida, hábitos, vícios. Sabe-se, por mera observação estatística, que mulheres jovens e caucasianas estão mais propensas a desenvolver a doença. Eu tinha 26 anos. Right on target.

O Lula deveria ir para o SUS? Por que derrubaram a CPMF?

Por Paulo Henrique Amorim, no sítio Conversa Afiada

"Há a colonista (*) que nos informa que D. Marisa anda nos corredores do hospital de chinelinho.

Formidável !

Seria impossível viver sem essa falsa informação, neste dia de Finados.

Mas, a colonista precisa demonstrar que sabe das coisas – quanto mais irrelevantes melhor.

Quanto mais pejorativas, melhor ainda.

Chinelinho de sisal ou uma havaiana cor de abóbora ?

E se a D Marisa usasse uma sandália rasteira da Dolce Gabana nos corredores do Sírio ?

O que diria a notável colonista ?

Está vendo, é uma Dolce Gabana mensaleira !

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Lula, os abutres da imprensa e seus abutres leitores


Por Davis Sena Filho, no Palavra Livre, blog hospedado no Jornal do Brasil
"Lula tem câncer na laringe. A notícia correu pelo Brasil há poucos dias. Os jornalistas de oposição e os que apenas repercutem a agressividade de seus patrões e de seus leitores contra o político estadista se mobilizam freneticamente e correm para o Hospital Sírio-Libanês, onde o presidente mais popular da história do Brasil está a fazer os exames e procedimentos normais, comuns aos que são vítimas dessa doença, com o propósito de combatê-la e vencê-la.
Contudo, o que realmente me chamou a atenção foram alguns jornalistas pertencentes aos quadros da imprensa corporativa e privada (privada nos dois sentidos, tá?) e de seus leitores, que se comportaram como abutres ou corvos, no sentido de se reportarem sem o mínimo de educação e decência e civilidade quando se trata de atacar àquele que eles consideram o inimigo a ser batido, mesmo quando esse “inimigo” político é vítima de câncer ao tempo que amado por milhões e milhões de brasileiros, ao ponto de sair da Presidência com índices gigantescos de aprovação ao seu Governo que atingiram o patamar de 87%, acima dos índices de popularidade do mito Nelson Mandela quando deixou a presidência da África do Sul.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

O Jornalismo-Urubu e a doença de Lula


    Guia de boas maneiras na política. E no jornalismo. Por Maria Inês Nassif, reproduzido no Conversa Afiada





"A cultura de tentar ganhar no grito tem prevalecido sobre a boa educação e o senso de humanidade na política brasileira. E o alvo preferencial do “vale-tudo” é, em disparada, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Por algo mais do que uma mera coincidência, nunca antes na história desse país um senador havia ameaçado bater no presidente da República, na tribuna do Legislativo. Nunca se tratou tão desrespeitosamente um chefe de governo. Nunca questionou-se tanto o merecimento de um presidente – e Lula, além de eleito duas vezes pelo voto direto e secreto, foi o único a terminar o mandato com popularidade maior do que quando o iniciou.

Repúdio ao tribunal midiático no Brasil


Reproduzido do Blog do Miro

Moção apresentada no Encontro Mundial de Blogueiros:

Nas últimas semanas, a mídia hegemônica mostrou mais uma vez suas garras. De forma inescrupulosa, se aproveitou de denúncias vazias para governar o país no grito.

Inconformados com o fato de terem perdido nas urnas a eleição presidencial, tentam impor uma agenda negativa para a nova presidente, tendo como foco a desmoralização dos quadros políticos que ocupam seu primeiro escalão. Com muito orgulho, os barões da mídia se vangloriam de ter derrubado o 6º ministro de estado em 10 meses de governo.

O alvo da vez foi o ex-ministro do Esporte Orlando Silva. Baseados em afirmações feitas por um homem com extensa ficha corrida na justiça, acionado por ter desviado milhões dos cofres públicos e que não apresentou nenhuma prova contra o ex-ministro, a mídia criou um tribunal de exceção para julgar e condenar publicamente Orlando Silva. Num primeiro momento, a presidente Dilma Rousseff resistiu à investida da mídia, mas não suportou a pressão e cedeu à chantagem midiática.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Globo esconde Lula para não reforçar o mito




O jornal nacional desta segunda-feira dedicou mais espaço aos 7 bilhões de habitantes da Terra do que ao início da quimio do Nunca Dantes.

O que interessa ao brasileiro saber que há mais um chinês ou indiano na face da Terra ?

Especialmente, porque o aumento da população brasileira hoje é parecido com a de países europeus.

Irrelevante.

Por quê ?

A Globo perdeu o senso ?

Não, amigo navegante.

No jn do Ali Kamel não há coincidências.

Vamos construir uma hipótese. 

CUBA na UNESCO

Discurso de Miguel Diaz-Canel, Ministro da Educação Superior de Cuba na Assembleia Geral da Unesco, postado por Emir Sader, no Carta Maior:

“O mundo vive indignado. Os povos se rebelam contra as injustiças e as promessas vazias. Se indignam pelas frustrações acumuladas e pela ausência de esperanças. Se rebelam contra um sistema devastador que já não pode seguir enganando com um falso rosto humano. Um sistema que continua marginalizando as maiorias excluídas, em benefício de um punhado de privilegiados que possuem tudo. Que não repara no resgate de banqueiros corruptos que multiplicam seus lucros, enquanto diminuem os recursos para a educação, a saúde ou a criação de empregos.

A crise do sistema capitalista é sistêmica e multisetorial. É crise financeira, econômica e social e também ética. Os poderosos apostam na guerra como recurso de sua salvação. Repartem o mundo entre si impunemente e encarregam a tarefa à belicosa OTAN. Ainda não terminaram de destruir a Líbia e já ameaçam a Síria. Quem de nós irá segui-los?

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Democracia à brasileira

Sei, não... Tá tudo fora do lugar, mas a aparência é outra. E eles nos seguem fazendo de bobos (ou tentando fazer). Só um exemplo, mas há muitos mais:

Todos os países mais desenvolvidos têm algum tipo de regulação para o exercício da imprensa (inclusive o norte-americano, para os fãs da combalida Wall Street). Claro! E tem que ser assim, porque não o sendo a moral atacada, por exemplo, jamais será recomposta no tempo e modo oportuno. Não, mesmo.

Há pessoas que pelo perigo que representam me fazem desejar nunca cruzar com elas. Se vierem na minha direção, tomara as veja a tempo de mudar de calçada. Assim também em relação ao modo de fazer jornalismo que testemunho. Principalmente, claro, do Partido da Imprensa Grande – PIG, como diz o Paulo Henrique Amorim.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Mais um prêmio para o Cara. Por que não FHC?


Este Lula está impossível, vive viajando para receber prêmios. Por que não FHC? Ah! Esqueci, porque FHC está fazendo uma boquinha :P

Lula recebe no México o Prêmio Amalia Solórzano. Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula.
Prêmios e homenagens recebidos por Lula após a presidência
Confira abaixo os principais prêmios e homenagens recebidos por Lula a partir de 01/01/2011, quando deixou a Presidência da República.

Lei dos Médios ou barbárie

Por José Carlos, reproduzido originariamente no ContextoLivre



Ontem, dia 24 – ao noticiar a vitória esmagadora de Cristina Kirschner – o JN repercutiu a direita argentina e seu PiG afirmando que, com a conquista da maioria no Senado e na Câmara, a presidente terá poderes de rainha. “Cresce o temor de que ela reduza mais ainda a liberdade de imprensa ou até cale a imprensa de vez”.
Quer dizer que, quando um governo dá certo, quando a economia vai bem, quando o “feel good” da maioria se manifesta nas urnas – significa que NÃO há liberdade de imprensa? Liberdade de imprensa é golpe de estado e governo militar? Liberdade de imprensa é inflação? Desemprego? Recessão? Liberdade de imprensa é o modelo neoliberal que levou EUA e Europa à bancarrota?

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Cuba e os EUA

Por Fernando Morais - Transcrição literal e parcial de trecho da Apresentação a Fidel Castro: biografia a duas vozes, de Ignacio Ramonet (Ed. Boitempo, 1ª ed., 08/2006)

"(...) Fidel Castro: biografia a duas vozes permite que se compreenda como e por que um país pobre e tão pequeno conseguiu eliminar algumas das mais graves pragas que assolam a humanidade, como a fome, o analfabetismo, a miséria. (...) Este livro nos revela detalhes desse processo, e traz outra certeza: Cuba será lembrada também pelo fato de que essas foram conquistas obtidas a despeito da oposição feroz de nada menos que dez presidentes norte-americanos (....). Desde dezembro de 1958, quando Batista e seus mafiosos foram escorraçados de Havana por tropas comandadas por Fidel, Che e Camilo Cienfuegos, Cuba passou a ser objeto de odiosas agressões por parte dos Estados Unidos. Não houve um só dia, ao longo desses 47 anos, em que o país não tivesse sido vítima de atentados a bomba, sequestros e provocações de toda sorte. Só nos primeiros catorze meses após a invasão da baía dos Porcos, os Estados Unidos patrocinaram, financiaram ou organizaram 5.780 ações terroristas contra Cuba, 700 delas contra fábricas, usinas de açúcar e equipamentos industriais, causando prejuízos incalculáveis e tirando a vida de 234 pessoas. A temida guerra bacteriológica, de que tanto se fala hoje, vem sendo usada pelos sucessivos presidentes norte-americanos contra a Revolução Cubana há quatro décadas. Em 1971, com Nixon na Casa Branca, a CIA desembarcou em Cuba um contêiner contaminado com um desconhecido vírus africano da peste suína, que provocou o sacrifício de 500 mil porcos. Dez anos depois, quando Ronald Reagan era presidente, a organização terrorista Omega 7, com sede em Miami, introduziu na ilha um vírus produzido em laboratório, o da dengue tipo II, que provoca febres hemorrágicas fatais para o ser humano. Resultado: 158 mortos (entre eles 101 crianças) e mais de 350 mil pessoas contaminadas. Só contra a pessoa de Fidel já foram realizados mais de 600 atentados. Coroando essas agressões, Cuba passou todos esses anos sufocada pelo irracional anel sanitário - o bloqueio econômico - decretado por Washington em 1962 e endurecido pela leis Torricelli e Helms-Burton.(...)"

domingo, 23 de outubro de 2011

Os dez mandamentos da VEJA: Para se indignar


Por Saulo Machado
Trajetória Torta
A VEJA gosta de ditar regras. E de forma arcaicamente didática, gosta de organizar em tópicos o que pensa.
Foi assim na campanha do desarmamento quando, independente da opinião que cada brasileiro tinha (tem), lançou uma matéria-propaganda com o título “7 razões para votar NÃO”.
Sim, a palavra “não” era em letras garrafais, e foi a primeira vez que eu vi a VEJA com outros olhos. Era notório ali que havia um interesse acima do jornalístico. Talvez lobby da indústria armamentista? Talvez.
A suspeita de que VEJA estampa em suas capas matérias encomendadas é antiga e corriqueira.
Na época em que a ANVISA começou a se movimentar para proibir (ou restringir) a venda de medicamentos proibidos na Europa inteira e nos EUA, a revista lançou a capa-campanha “Por que é ruim proibir a venda”.
Por que é ruim? Porque a Indústria Farmacêutica irá perder MILHÕES!
Esse pano rápido foi só para introduzir o que quero falar sobre a capa de hoje (22/10) da mesma revista… ou seria um panfleto do quem pagar leva?
O problema maior nisso tudo é que não só a VEJA cai no descrédito, mas toda a grande mídia.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Isto é uma falta de absurdo!


*Não postada quinta-feira por motivo de força maior

A revolta me invade. A compreensão me foge. Furtaram-me o discurso, calaram minha voz. O horizonte é negro, por mais que hoje seja politicamente incorreto dizê-lo dessa cor.

Fatiga-me essa evidência que vem sendo experimentada por nosso país. O Brasil não pode tornar-se, finalmente, uma grande nação. Suas principais lideranças políticas não podem manifestar-se com altivez, independência e soberania nos foros estrangeiros. Nossa economia não pode apresentar-se sólida, nosso povo deve permanecer pobre, sem divisão do bolo da crescente riqueza.

Quando o torneiro mecânico se foi, imaginava pudesse tudo voltar a ser como antes. É certo que o outro, lá, não venceu (e aí a esperança se tornaria certeza), mas como a presidenta eleita não era muito conhecida, fiava-me na volta de nossa fase de vacas magras (riqueza apenas para os ricos e remediados), de presidente brasileiro ouvir carão (pito) de presidente norte-americano, de voltarmos ao FMI de pires na mão (e nunca, como agora, como credores). Qual o quê!

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

"Civita avisa que derrubará Dilma"



Por Eduardo Guimarães, no Blog da Cidadania, reproduzido no Blog do Miro


No último domingo, o ator José de Abreu, esse simpaticíssimo sessentão paulista de Santa Rita do Passa Quatro, soltou uma nota no Twitter que, desde então, vem sendo objeto de curiosidade e de intensos debates na internet devido ao teor explosivo que encerra. Abaixo, a reprodução da nota do ator. Foi capturada em seu perfil naquela rede social:



Diante da enormidade que é haver dado concreto sobre uma premissa que todos os que se interessam por política já intuíam diante do comportamento da revista Veja nos últimos tempos, sobretudo após o caso escabroso em que um repórter desse veículo tentou invadir o apartamento do ex-ministro José Dirceu em um hotel de Brasília, decidi entrevistar o autor de tão interessante informação.

Manifestantes 'contra corrupção' não sabem o que combatem e/ou almejam

Por Mair Pena Neto - no Direto da Redação, reproduzido no Pragmatismo Político
A corrupção é uma praga que corrói e deve ser combatida, mas ao movimento falta qualquer tipo de proposta objetiva, o que o transforma num simples desabafo, além de servir a interesses escusos


O buraco é mais embaixo
Governos progressistas precisam dizer ao que vêm. Os socialistas europeus se renderam às regras do mercado e foram engolidos pela crise, possibilitando o crescimento da direita. Barack Obama, eleito como sinal de mudança após a truculência republicana, está com seus menores índices de popularidade, sem conseguir reduzir o poder do mercado e tímido demais ao enfrentá-lo. Dificilmente voltará a ter os votos  dos que acreditaram no lema "yes, we can", já que não pode mudar nada e enfrenta uma insatisfação que crescee aparece no movimento "Ocupar Wall Street".


Não adianta ser de esquerda ou progressista sem implantar nos governos uma linha de atuação que assim os identifique.