F R A S E

SÃO OS COMUNISTAS OS QUE PENSAM COMO OS CRISTÃOS” - Papa Francisco

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Cuba e os EUA

Por Fernando Morais - Transcrição literal e parcial de trecho da Apresentação a Fidel Castro: biografia a duas vozes, de Ignacio Ramonet (Ed. Boitempo, 1ª ed., 08/2006)

"(...) Fidel Castro: biografia a duas vozes permite que se compreenda como e por que um país pobre e tão pequeno conseguiu eliminar algumas das mais graves pragas que assolam a humanidade, como a fome, o analfabetismo, a miséria. (...) Este livro nos revela detalhes desse processo, e traz outra certeza: Cuba será lembrada também pelo fato de que essas foram conquistas obtidas a despeito da oposição feroz de nada menos que dez presidentes norte-americanos (....). Desde dezembro de 1958, quando Batista e seus mafiosos foram escorraçados de Havana por tropas comandadas por Fidel, Che e Camilo Cienfuegos, Cuba passou a ser objeto de odiosas agressões por parte dos Estados Unidos. Não houve um só dia, ao longo desses 47 anos, em que o país não tivesse sido vítima de atentados a bomba, sequestros e provocações de toda sorte. Só nos primeiros catorze meses após a invasão da baía dos Porcos, os Estados Unidos patrocinaram, financiaram ou organizaram 5.780 ações terroristas contra Cuba, 700 delas contra fábricas, usinas de açúcar e equipamentos industriais, causando prejuízos incalculáveis e tirando a vida de 234 pessoas. A temida guerra bacteriológica, de que tanto se fala hoje, vem sendo usada pelos sucessivos presidentes norte-americanos contra a Revolução Cubana há quatro décadas. Em 1971, com Nixon na Casa Branca, a CIA desembarcou em Cuba um contêiner contaminado com um desconhecido vírus africano da peste suína, que provocou o sacrifício de 500 mil porcos. Dez anos depois, quando Ronald Reagan era presidente, a organização terrorista Omega 7, com sede em Miami, introduziu na ilha um vírus produzido em laboratório, o da dengue tipo II, que provoca febres hemorrágicas fatais para o ser humano. Resultado: 158 mortos (entre eles 101 crianças) e mais de 350 mil pessoas contaminadas. Só contra a pessoa de Fidel já foram realizados mais de 600 atentados. Coroando essas agressões, Cuba passou todos esses anos sufocada pelo irracional anel sanitário - o bloqueio econômico - decretado por Washington em 1962 e endurecido pela leis Torricelli e Helms-Burton.(...)"

Nenhum comentário: