F R A S E

Pablo Neruda:

"A pessoa certa é a que está ao seu lado nos momentos incertos."


sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Decepção com o quê?


dayvison.wordpress.com

Serviu-me de inspiração aos devaneios que se seguem um comentário acerca do último jogo do Galo contra o Coruripe. Dizia-se que o CRB havia novamente decepcionado o seu torcedor por haver empatado com o então lanterna do campeonato. Deus do céu! ― desculpaê, meu Deus ―, qual a surpresa? Não é de hoje que o Galo é o maior ressuscitador de defunto deste estado. Não ganha de um lanterna! Decepcionar-se com isto é o mesmo que espantar-se porque vive perdendo pro ASA, ou o azulino surpreender-se por levar mais uma pisa do Galo (aliás, como o azulino tem sofrido, Vixe Maria! Toc-toc-toc, pé-de-pato mangalô três vezes!), ou o torcedor do ASA imaginar que seu time não se assusta com o CSA. Tudo tão corriqueiro... Por que a decepção?

Devo reconhecer, porém, que a insistência em decepcionar-se é normal, graças à bendita esperança. Há muitos outros exemplos. Vejam alguns:


O cara tá andando pela orla e vê aquelas línguas negras despejando cocô no mar. Não tem como não se irresignar. E não tem um prefeito que dê jeito! Entra eleito, sai eleito, mas a m... tá lá. Quer dizer: aquilo se repete há anos, mas você insiste em se decepcionar.

Av. Álvaro Otacílio, sentido Jatiúca-Ponta Verde, vindo da Álvaro Calheiros. Não adianta: até passar a Amélia Rosa o trânsito estará insuportável (pra mim é av. Amélia Rosa, e pronto.). Seja por causa da fila que se forma para entrar naquela franquia de lanches norte-americana (aquela do hidróxido de amônia que tempera seus hambúrgueres) e invade a avenida, seja pelos carros que querem passar de um lado a outro, embora proibido seja. Quem tá vindo da Ponta Verde, quer atravessar com o carro a avenida pra ir à referida lanchonete ou ao posto de combustível que lhe é vizinho; e quem lá está quer ir pra Mangabeiras ou Cruz das Almas atravessando para o outro lado da pista. Isto é notório e se repete indiscriminadamente. O prefeito também aqui não faz nada.

A propósito, vai uma sugestão pra ele: manda pôr, em toda a orla, uns gelos-baianos, daqueles enormes e resistentes (aliás, que nome, né?), suficientes a criar obstáculo intransponível a que esses mal-educados de sempre tumultuem o trânsito ― aí incluídos muitos moradores dos prédios à beira-mar, tão mal-educados quanto aqueles, pois que fazem a mesma coisa para irem pra casa.

E por favor!! Os bueiros e suas respectivas tampas devem estar no mesmo nível da rua! Se não estão, é mais um buraco nessa cidade já prenhe deles. Que decepção! Tá vendo? É a esperança...

Nenhum comentário: