F R A S E

SÃO OS COMUNISTAS OS QUE PENSAM COMO OS CRISTÃOS” - Papa Francisco

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Ética, arroto e hipocrisia

A cada dia que passa constato com mais convicção que o desrespeito ao adversário, e a hipocrisia, imperam nas lides políticas de qualquer natureza nestes estado e país (sendo que a hipocrisia é induvidosamente mais perniciosa do que aquele, pela capacidade de manipulação da vontade do eleitor, que lhe é ínsita).

O móvel para o seu exercício tem sido, desgraçadamente, a defesa da ética. Justamente a ética, tão prostituída no dia a dia de nossas vidas, quando, por exemplo, recebemos de órgão público sem a contraprestação do trabalho (mais das vezes figuras que povoam nossas colunas sociais), furamos fila e ainda nos orgulhamos da esperteza, tratamos o semelhante com preconceito, e até com crueldade, em razão de opção sexual, cor, classe social..., traímos o sentimento dos que nos amam, usamos o telefone da empresa/pessoa que nos remunera para tratar de assuntos pessoais, não raro desimportantes, ou subtraímos para uso pessoal seu material de escritório, estacionamos em vaga destinada a deficiente físico, gestante e idoso, votamos no candidato venal porque é nosso amigo ou lhe devemos favor, compramos decisão judicial, vendemos decisão judicial, fraudamos concurso público, sonegamos imposto, deixamos de olhar para o nosso próprio umbigo, ou deliberadamente o tapamos, para ficarmos mais à vontade para arrotar ética naquele a quem atribuímos lhe falta, fazemos política desrespeitando o adversário, mentindo, falseando, denegrindo, inventando, manipulando, destruindo, arrotando... ética.



A diferença entre a defesa legítima da ética e a hipocrisia é justamente o seu arroto. A vantagem é que não é difícil, aos que que querem ver e ouvir, identificar quando a ética é arrotada, logo, hipócrita. Fique atento. Você descobre.

Arrota-se tanta ética nesse nosso mundinho de futilidade, preconceito e individualismo hegemônico que estou convicto: ninguém fez tanta escola nas disputas políticas de quaisquer espécies neste país como Carlos Lacerda e sua UDN. Nem que por osmose. Dispute-se, politicamente, o que quer que seja: sua voz e seu discurso impregnados da raiva da hipocrisia lá estarão com seus seguidores. Lacerda foi dos maiores, senão o maior, arrotador de ética da história brasileira. Deveriam ostentar no peito medalha em honra de seu ídolo. Talvez até exalando odor.

Impressiona no arrotador de ética, por exemplo, o ódio, o rancor e o preconceito presentes em suas manifestações. E, claro, só o seu discurso não é hipócrita. Hipócrita é só o do outro. Ele grita, ele ofende, ele é duro, ele condena. Ele faz e desfaz com sua verborragia, às vezes acompanhadas de atos. Mas tudo, porém, não passa de arrotos.

De modo que nada me repugna tanto, hoje em dia, quanto a ética arrotada. Ela é hipócrita por natureza. Exala profundo mau hálito, decorrente das estruturas podres (e sem ética) onde produzida. Hipocrisia pura.

Nenhum comentário: