F R A S E

SÃO OS COMUNISTAS OS QUE PENSAM COMO OS CRISTÃOS” - Papa Francisco

sábado, 14 de dezembro de 2013

Onde

Não existe onde se possa ser mais feliz

Felicidade não escolhe onde

Mas pudesse...

Não existe felicidade

Sem essa música que só eu e você sabemos

Fico feliz

Você também fica

Ouvimos agora

Dançamos

Este lugar

E você se pergunta: por quê?

Aí você ouve:

Porque merecem, ora

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

E o “Nobel” da Seguridade Social vai para o...!

Já pensou, hein!E não é que o prêmio foi pra ele?! O maior prêmio do mundo na área da Seguridade Social! Sim, me dirijo a você, como eu, que jamais precisou de um prato de comida, de um tostão porque lhe faltasse meio (tostão). Você, sim, como eu, que enquanto filho não sentiu a dor da fome nem viu seus pais desesperados pela falta de um vintém pra botar comida na mesa, e como pais jamais viu a cara dela em seus filhos. Agora, passada uma mísera década numa história de mais de 500 anos, veio o reconhecimento internacional na forma de prêmio. Já pensou?


Graças a Deus! A gente diria e diz. Não é? Graças a Deus! Claro, você vê, como eu, que a gente énuma palavra, pri-vi-le-gi-a-do! E a gente agradece a Ele porque a nossa fé assim nos manda fazer. Mas a gente sabe que se Deus tem a ver como nossa bonança, naturalmente não tem absolutamente nenhuma responsabilidade pela desgraça do sujeito desafortunado, que passa ou passou fome, que já nasceu lascado, num ambiente lascado, filho de pais lascados, num país lascado(roubado) de um mundo lascado. Epa! Lascado para alguns! Para os que não tiveram, como a gente, o direito de exclamar/agradecer: “Graças a Deus!”

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Vergonha de branco

Foto: FolhaPress
Se você não sabe o significado da palavra solidariedade em sua vida mesquinha, egocêntrica, racista, fascista e xenofóbica;

se generosidade significa pra você apenas aquela esmolazinha “cala-consciência” (consciência?) de depois da missa dos domingos a que você, religiosamente (sem trocadilho), comparece numa tentativa certamente inútil de expiar os pecados que você imagina não ter;

se trabalho voluntário pra você não passa de algo distante que em um dia qualquer alguém de quem você não lembra mais te falou;

se o mais próximo que você sentiu da dor de estômago da fome alheia foi uma expressão de “pena” frente à foto de algum africano esquálido postada na internet ou na sua revista semanal ou televisão onde você talvez tenha muito aprendido a ser o que você, enfim, se transformou;

terça-feira, 16 de julho de 2013

Joaquim Barbosa recebeu R$ 700 mil da UERJ, sem trabalhar

Por Miguel do Rosario, no O Cafezinho

Primeiro ele pagou, com dinheiro público, as passagens de avião da repórter da Globo que foi à Costa Rica cobrir a sua palestra. Depois pagou, de novo com verba pública, passagens para vir ao Rio assistir o jogo entre Brasil e Inglaterra. Não precisou pagar ingresso porque ficou no camarote do Luciano Huck. Logo em seguida descobriu-se que seu filho arrumou um emprego na Globo, no programa de… Luciano Huck.
Henrique Alves e Renan Calheiros, apanhados usando jatinho da FAB pra ver jogo de futebol, devolveram o dinheiro usado. No caso de Barbosa, a imprensa continua quieta. Ninguém quer decepcionar o “gigante” que, segundo o Datafolha, idolatra o Barbosão.
Ninguém quer arranhar a imagem do “menino que mudou o Brasil”, criada pela grande mídia para endeusar o homem que se vendeu ao sistema, que rasgou a Constituição para acusar e condenar, mesmo sem provas, os réus da Ação Penal 470.

Caso Globo: o MP é autista?

Por Fernando Brito, no Tjolaço

Que a imprensa brasileira seja o que é, sabemos.
Impera ali a “liberdade de expressão” dos donos e dirigentes – frequentemente mais realistas que o rei – e publicam o que querem, quando querem e como querem.
É a lógica da empresa privada: vale o que dá lucro, não vale o que dá “prejuízo”, político inclusive.
Mas não o Ministério Público, que é uma instituição da sociedade, paga – e bem paga – com o dinheiro da coletividade e que tem, na sua missão de fiscal da Lei, o dever supremo de zelar pelo dinheiro da população.
São, portanto, servidores públicos e não têm o direito de praticar favoritismos na sua atuação.
No entanto, diante do caso Globo, que além da sonegação de impostos envolveu, no mínimo, o furto de dois processos dentro da Receita Federal, o Ministério Público Federal sente-se no direito de manter o mais escandaloso silêncio de sua história, como se não tivesse satisfações públicas a prestar sobre o caso.
Tem, e são indeclináveis.

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Quem Topa a Aventura?

Por Marcos Coimbra*
Em maio ao desprezo pelos políticos, emergem estrelas como Marina Silva e Joaquim Barbosa, que nem sequer partido têm. Mas os candidatos “não políticos” costumam ser preteridos nas urnas.

Constitui verdade acaciana afirmar que é ruim a imagem dos políticos no Brasil. Até as crianças do grupo o sabem e, aliás, compartilham a opinião. Não é idiossincrasia nossa, tampouco decorre de alguma peculiaridade da evolução política brasileira. Mundo afora o mesmo ocorre em países ricos e pobres, de democracia mais ou menos consolidada. Os políticos andam em baixa em todos os lugares.
Mas o fenômeno assume aqui feições características. Passamos 20, dos últimos 50 anos, sob uma ditadura, que se instaurou com o pretexto de extirpar a corrupção e a subversão. Seus alvos imediatos foram os partidos e as lideranças políticas, acusadas de uma ou outra. Os generais se fantasiavam de os mais honestos e respeitadores das leis, e melhores como administradores. Durante o autoritarismo, político era quase sinônimo de corrupto e incompetente.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

A menina da foto


Por Julio Cesar Macedo Amorim, via e-mail

Quando postaram pela primeira vez nas redes sociais a foto de menina com o cartaz desrespeitoso ao ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva eu ate a achei bonitinha. Sim, confesso de público a beleza da garota. Pele lisa, daquelas tratadas com cremes caros. Criada com iogurte, leite e alimentação de primeira. Claro, ela não deve ter passado dificuldades na vida. Ao menos, me perdoe se eu estiver errado, pôde estudar sem dificuldades. Diferente da maioria da população brasileira que teve as universidades públicas invadidas por quem fez o ensino fundamental e médio em escolas particulares. Criando uma disputa diferenciada.

Sonegação na Globo

Por Rodrigo Viana

O silêncio dos (ex) jornalões diz tudo: o caso de sonegação da Globo tem um potencial muito mais explosivo do que as relações carnais entre o bicheiro Cachoeira e a redação da Veja. A Globo é acusada de sonegar 187 milhões de reais. Acusada por um auditor fiscal. Processo oficial na Receita Federal. A Globo recorreu e perdeu em instância administrativa. Com multa e juros, o valor a pagar passava dos 600 milhões de reais. Isso em 2006! Hoje, seria mais de um bilhão de reais! São vários mensalões…  

O caso foi trazido à tona pelo blog O Cafezinho, de Miguel do Rosário. Na sequência, blogueiros saíram atrás de mais detalhes. O Tijolaço mostrou as relações entre o caso global e as acusações contra Ricardo Teixeira e a FIFA. Este Escrevinhador contou no domingo que o processo da Globo por sonegação havia simplesmente desaparecido. Muitos internautas reagiram com incredulidade: lá vêm s blogueiros com teoria conspiratória… E não é que a conspiração era verdadeira? Na sequência, oVioMundo de Azenha trouxe a informação completa: uma funcionária da Receita foi processada e chegou a ser presa por retirar o processo de dentro do escritório da Receita Federal no Rio. A funcionária escapou da prisão graças a um Habeas Corpus no STF  (cujo relator foi ele mesmo: Gilmar Mendes).

O círculo vai-se fechando. Fica cada vez mais claro que o problema da Globo não é com o valor sonegado nem com a multa. Não. O problema é o conteúdo do processo. O incansável Amaury Ribeiro Jr revela que até doleiros utilizados por esquemas mafiosos no Rio estariam citados no processo

Na Globo, Jô e Cantanhêde passam a noite atacando Lula, Dilma e o PT

Por Eduardo Guimarães, no Blog da Cidadania
A madrugada de segunda para terça-feira foi uma farra para a oposição ao governo Dilma Rousseff. A concessão pública de TV entregue à família Marinho se transformou em palanque para ataques à presidente da República, ao ex-presidente Lula e ao partido de ambos.
Em clima de festa, o apresentador global Jô Soares e sua entrevistada principal da noite, a colunista da Folha de São Paulo Eliane Cantanhêde, demonstravam uma excitação incontida com o cenário político desfavorável ao governo federal.
Quem tiver interesse em ver com os próprios olhos e ouvir com os próprios ouvidos o uso de uma concessão pública com fins político-partidários, pode clicaraqui. Ou, então, pode ler este relato.
Em um dos momentos mais bizarros, a dupla “acusou” Lula de ser o “culpado” por trazer para o Brasil a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 e por Dilma Rousseff e Fernando Haddad terem sido eleitos.

terça-feira, 9 de julho de 2013

Arrogância, seu nome é Estados Unidos

Por Mário Augusto Jakobskind


A arrogância dos Estados Unidos não chega a ser uma surpresa, mas sempre provoca indignação. No caso de Edward Snowden,ex-agente da CIA realmente passou dos limites. Snowden concretamente está prestando um serviço de utilidade pública para a humanidade ao fazer as revelações sobre a ação imperial de grampeamento de e.mails e telefônicos por parte da potência hegemônica em várias partes do mundo. O Brasil, como se sabe, não ficou de fora e foram monitoradas mais de um bilhão de mensagens da internet e telefônicas Ou seja, uma intromissão indevida em assuntos internos de um país.
Mas não é o que pensam parlamentares norte-americanos, que lançaram ameaças contra países latino-americanos que eventualmente concedam asilo político aSnowden. Republicanos e democratas querem que o governo estadunidense promova sanções econômicas e comerciais para quem conceder o asilo político ao novo herói dos tempos cibernéticos. 

SOBERANIA JÁ DILMA! Lembremos-nos de Alcântara.

Por João Vicente Goulart
Diretor do IPG- Instituto Presidente João Goulart

Submissão e servilismo aos espiões não!

É de uma imensa falta de soberania o não esclarecimento imediato à nossa população o que faz uma base da NSA americana (National Security Agency) na capital de nosso país, em nossas barbas , em nossa casa, monitorando nosso governo, nossos planos militares, nossas estratégias e o pior, fazendo de bobo o povo brasileiro ao querer convencer- nos de que isto é normal em um país democrático?   

Nossa embaixada em Washington é “target” prioritária?

Agora sabemos que o monitoramento se dá através de satélites por nós alugados dos nossos soberanos imperialistas que como quer convencer o embaixador Shannon é um monitoramento corriqueiro, em explicação ao nosso ministro Paulo Bernardo. Ridículo se não fosse grave.

As tramoias da direita contra Dilma

http://www.ajusticeiradeesquerda.blogspot.com.br/

Por Leonardo Boff, na revistaFórum:

É notório que a direita brasileira especialmente aquela articulação de forças que sempre ocupou o poder de Estado e o tratou como propriedade privada (patrimonialismo), apoiada pela mídia privada e familiar, estão se aproveitando das manifestações massivas nas ruas para manipular esta energia a seu favor. A estratégia é fazer sangrar mais e mais a Presidenta Dilma e desmoralizar o PT e assim criar uma atmosfera que lhes permite voltar ao lugar que por via democrática perderam.
Se por um lado não podemos nos privar de críticas ao governo do PT (e voltaremos ao tema), mas críticas construtivas, por outro, não podemos ingenuamente permitir que as transformações politico-sociais alcançadas nos últimos 10 anos sejam desmoralizadas e, se puderem, desmontadas por parte das elites conservadoras. Estas visam a ganhar o imaginário dos manifestantes para a sua causa que é inimiga de uma democracia participativa de cariz popular.

Prepare-se, presidenta!

Por Fernando Brito

Prepare-se a Presidenta Dilma Rousseff: será violenta a reação ao anúncio feito hoje de que os médicos precisarão fazer os dois anos de residência médica – porque é isso a extensão do curso de Medicina anunciada – em hospitais e serviços públicos de saúde, sem poderem, antes disso, trabalhar em clínicas ou possuírem consultórios próprios ou em sociedade.
É, aliás, essa a realidade dos formandos em medicina que, por vocação ou falta de esquemas familiares de colocação “por cima”, iniciam suas carreiras no atendimento duro e difícil das periferias ou regiões carentes.
Para eles, nenhuma diferença senão a de terem garantida a residência com uma remuneração bem maior que as eventuais bolsas que possam conseguir – quando conseguem – e haver um acopanhamento acadêmico superior ao que existe hoje – quando existe. Ninguém vai poder se dizer prejudicado, porque a medida só vale para quem iniciar o curso de Medicina em 2015.

domingo, 16 de junho de 2013

As vaias em Dilma: manifesto da estupidez

www.jornaldamidia.com.br
Realizar uma Copa do Mundo é objeto de desejo de inúmeros países. Por quê? Porque todos sabem que o país ganha muito mais do que investe. Não sou eu que o digo, apenas reproduzo um fato. Daí a cobiça. Essa estória de que a parcela de dinheiro público investido poderia ser melhor empregada, se o fosse em saúde e educação, não guarda o menor fundamento porque os ganhos auferidos a partir de sua realização serão muito maiores. Todo o país ganha(rá), inclusive a saúde e a educação. Só a ingenuidade e a ignorância — manipuladas pelo preconceito e pela desonestidade intelectual dos que sabem que não é verdadeiro o que reproduzem, e mesmo assim o fazem — explicam a balela que se ouve, aqui e ali, da voz idiotizada da direita (infantil, mas perigosa como toda mentira). A propósito, também é fato, não custa lembrar, que o atual governo (ao lado do que lhe é imediatamente anterior) é o que mais investiu em saúde e educação em toda a história sofrida de nosso país. Portanto, vir reclamar desse governo, como se leniente o fosse com o tratamento desse tema, não passa de cínica desonestidade intelectual.

segunda-feira, 11 de março de 2013

Morreu Hugo Chávez, o ditador


O texto abaixo foi escrito no dia da morte do presidente, para pub. na Gazeta de Alagoas. Como não pôde sê-lo até esta data, entendi por bem postá-lo logo aqui, sem maiores delongas. Segue:

www.conversaafiada.com.br
Morreu Hugo Chávez, o ditador. Hugo Chávez, o ditador, é aquele sujeito que foi presidente, eleito, da Venezuela. Aliás, Hugo Chávez, o ditador, foi eleito em quatro oportunidades. Oportunidades significam aqui, caro leitor, uma, duas, três, quatro eleições, diretas(!), a que se submetera segundo os ditames da chamada democracia ocidental, e nas quais fora eleito presidente. Sem contar as vitórias em um plebiscito e contra um golpe de estado. Aquelas eleições vencidas por Hugo Chávez, o ditador, pelo voto popular direto e livre (não obrigatório!), foram e são auditadas antes, durante e após a sua realização por organismo internacional, não tendo sido observado qualquer indício mínimo de fraude. À última eleição vencida por Hugo Chávez, o ditador, vejam só, compareceram mais de 85% dos eleitores. Já as eleições da democracia estadunidense, por exemplo, não são diretas.

Morreu Hugo Chávez, o ditador. Hugo Chávez, o ditador, com a ajuda de Cuba e de seu revolucionário programa “Yo, Sí Puedo”, erradicou o analfabetismo na Venezuela, tendo, outrossim, sido declarada, pela insuspeita UNESCO, “Território Livre do Analfabetismo”. Cuba, aliás, é aquela ilhota à leste de Miami, nos EUA, que atrevidamente teima em manter-se livre e soberana ao invés de voltar a ser o baixo meretrício dos mafiosos e endinheirados cubanos e estadunidenses. A vontade política de Hugo Chávez, o ditador, para o alcance desse objetivo, pode ser compreendida por sua determinação para que os então mais de dois milhões de crianças analfabetas e fora da escola por motivo de falta de documento fossem aceitas e matriculadas independentemente de tê-los.

Morreu Hugo Chávez, o ditador. Em 2004, Hugo Chávez, o ditador, e Cuba, lançaram a “Operacion Milagro”, projeto humanitário que vem tratando de doenças da visão de pessoas de baixa renda em diversos países da América Latina e que, em até dez anos, pretende realizar cirurgias em seis milhões de latino-americanos. O petróleo ajuda nessa empreitada. Hoje a Venezuela já tem a maior reserva de petróleo do mundo, ultrapassando a Arábia Saudita. Antes de Hugo Chávez, o ditador, era comercializado com os EUA a sete dólares, o barril, enquanto hoje está na casa dos cem dólares. Será por isto a pendenga da potência bélica com a Venezuela?

Morreu Hugo Chávez, o ditador. Morreu um dos maiores líderes políticos da história. E a Venezuela chora!... A América Latina chora!... Choram a morte de Hugo Chávez, o ditador.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

O PIB, as desigualdades sociais e o bem-estar do brasileiro


Publicada no jornal Gazeta de Alagoas, pág. A4, n/data

http://luiscarlosgusmao.files.wordpress.com
Segundo o britânico Centro de Pesquisas Econômicas e de Negócios (CEBR), em 2022 — portanto daqui a dez anos —, o Brasil será a quinta maior economia do mundo, ultrapassando as europeias Reino Unido, França e até a poderosa Alemanha. Seu PIB deverá ter crescido 92% comparado aos números atuais. Interessante. Afinal, insuspeito. Não é?

Mas alguns críticos (sempre tão argutos) lembram que o Brasil ainda é inferior em muitos aspectos a diversos países europeus, inclusive, notadamente até, aos supracitados. Mas aí, danou-se! E é milagre, é? Como se as mazelas — históricas! — acaso desmerecessem as conquistas dos últimos dez anos! Engraçado é que essas mesmas vozes, antes (quando o Brasil ainda dormia em berço esplêndido, ou seus ministros tiravam os sapatos no aeroporto de Tio Sam), não davam um piu. Piu. É, nem isto.

sábado, 12 de janeiro de 2013

O mundo de Jabor

Por Paulo Nogueira

"Ele se dá ares martirizados de dissidente soviético quando tem vida mansa de aposentado escandinavo
image
O MUNDO DE JABOR, a julgar pelos seus textos, é sombrio. Nele, o Brasil "está evoluindo em marcha à ré", para usar uma expressão de uma coluna.

"Só nos resta a humilhante esperança de que a democracia prevaleça", já escreveu ele.

Bem, vamos aos fatos. Primeiro, e acima de tudo, se não vivêssemos numa democracia plena os artigos de Jabor não seriam publicados e ele não teria vida tão tranquila para fazer  palestras tão bem remuneradas em que expõe às pessoas seu universo gótico, em que brasileiros incríveis como ele devem se preparar para a guerra caso queiram a paz. Esta é outra expressão de um texto dele.

Comprar armas? Estocar comida? Construir um abrigo antibombas? Fazer um curso de guerrilha? Pedir subsídios para a CIA? Talvez um dia Jabor explique o que é se preparar para a guerra.

Já escrevi muitas vezes que o Brasil sob Lula perdeu uma oportunidade de crescer a taxas chinesas. Já escrevi também que os avanços sociais nestes dez anos de PT, embora relevantes e inegáveis, poderiam e deveriam ter sido maiores. Mas somos hoje um país respeitado globalmente. Passamos muito bem pela crise financeira global que transtornou tantos países e deixou bancos enormes de joelhos.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Balas de lama

Estamos numa guerra política. Não vê quem não quer.

Problema nem é a guerra em si. Problema é que ela é suja e covarde. E não se limita à mídia contra os governos dos presidentes Lula e Dilma.

A guerra com as armas do ódio, do preconceito, da irracionalidade, da parcialidade escabrosa, do moralismo mais canhestro, oco e hipócrita, da luta de classes (em que a "elite" ignorante e desonesta do país não aceita que o Brasil esteja finalmente começando a ser de todos) está por toda a parte.

Os que bradam gritos histérico-moralistas (tão vazios e falsos quanto o que dizem defender) contra aqueles governos e os políticos que os representam calam-se escancaradamente quando os escândalos foram (e são) patrocinados pelos que lhe são adversários.

É o maior exemplo de hipocrisia que jamais tive a oportunidade de testemunhar.
De minha parte, votei em Lula em todas as eleições, em Dilma na última, e fico absolutamente satisfeito por tê-lo feito.
E a luta continua. Eles enchem o copo de lama. A gente derrama água limpa nele. E assim se dá o processo. Ininterruptamente. Enquanto isto o Brasil e seu povo vão crescendo, "como nunca antes...".