F R A S E

SÃO OS COMUNISTAS OS QUE PENSAM COMO OS CRISTÃOS” - Papa Francisco

domingo, 15 de junho de 2014

ESPETÁCULO DE ESTUPIDEZ



O que vi e ouvi na Arena São Paulo (ou Arena Corinthians ou “Itaquerão”),  felizmente pela TV (não sei como teria me sentido fosse o testemunho presencial), no jogo de estreia da abertura da Copa do Mundo 2014 entre o Brasil e a Croácia foi a mais vergonhosa, degradante, covarde, cruel, machista, fascista e estúpida manifestação protagonizada por animais travestidos de gente contra uma mulher acompanhada de sua filha que jamais imaginei ver no meu país nos tempos modernos de democracia plena (embora onde ainda impere o poder econômico). Pra piorar a vergonha e o nojo de que me vi acometido, a mulher imperdoavelmente agredida é a presidenta do país, eleita pela maioria do seu povo, que nessa qualidade fazia-se presente na solenidade de maior cobertura jornalística e audiência de todo o mundo.


É de destacar que o espetáculo vergonhoso foi protagonizado por gente economicamente abastada, anônima ou não (havia muitas celebridades midiáticas, além de políticos de oposição entre os que puxaram o coro vexaminoso na chamada área VIP), que em pelo menos quatro oportunidades entoaram o cântico “Ei, Dilma, vai tomar no c...”!
Ao lado dessa baixaria, e quase tão terrivelmente desgraçado quanto — a demonstrar o grau de putrefação moral da parcela de nossa sociedade detentora das condições sociais mais privilegiadas —, foi constatar que essa escória grosseira tem seus fãs fora do estádio e em número bastante razoável. Percebi isto nas redes sociais e em alguns comentários captados aqui e ali por meus ainda bons ouvidos. Também desalentadoras as manchetes de deleite (quando não puro, disfarçado mal e porcamente) estampadas na dita “grande mídia” (maior “partido” de oposição ao governo federal), bem assim as manifestações deploráveis de pretendentes a adversários da presidenta nas eleições que se avizinham.



O que a os adeptos da grosseria não esperavam, porém — até porque estúpidos —, é que seu “feito” não passou de verdadeiro tiro no pé. O povo brasileiro não aprovou o espetáculo, repudia quem o fez e o apoia, e a seu principal mentor (a mídia grande). Quanto à solidariedade à presidenta, em que vai se reverter? Perguntem ao eleitor.

Nenhum comentário: