F R A S E

SÃO OS COMUNISTAS OS QUE PENSAM COMO OS CRISTÃOS” - Papa Francisco

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Por que o ódio?


*Tb pub. no jornal GAZETA DE ALAGOAS, de 16.07.2014

Por que, afinal, esse ódio e desprezo ao governo federal, mais precisamente à presidenta da República democraticamente eleita?Vejamos, pelo curto espaço, um pequeno retrato do desempenho brasileiro frente a educação e ao emprego nos últimos doze anos.
O Brasil tem enfrentado com resultados inegavelmente satisfatórios a maior crise econômica mundial desde a de 1929. Ainda assim, no quesito educação os investimentos realizados nos últimos doze anos superam, de muito longe, qualquer outro período pretérito, ou a própria soma deles. Pela vontade política da presidenta, 100% dos royalties do pré-sal seriam destinados à educação (foram 75%, e 25% para a saúde). O Brasil é, agora, um dos cinco únicos países do mundo a destinar 10% do seu PIB à educação. Durante os últimos 12 anos foram criadas 563 Escolas Técnicas, enquanto o governo anterior criou onze. Universidades Federais foram 18 (nenhuma, o anterior), além de 173 campi. Pelo PNE, R$ 200 bilhões serão investidos em educação até 2024, além de garantido o acesso universal. Foram criados o PROUNI, o PRONATEC, usado por cerca de 8 milhões de jovens e adultos, aprovada a Lei de Cotas, quase 10 milhões de inscritos no ENEM este ano, mais de 83 mil estudantes no Ciência sem Fronteiras com bolsas no exterior. Criou-se o FIES, que acaba de valer também para Mestrado e Doutorado, graças ao qual 7 milhões de jovens estão fazendo universidade pública (4 milhões a mais do que em toda a história do país). Haveria outros dados absolutamente positivos a discriminar, mas esses são assaz suficientes para mostrar, sem qualquer sofisma, que nenhum governo investiu tanto em educação como o atual.
No quesito desemprego, por sua vez, os avanços são espantosamente alvissareiros. Para se ter uma ideia, no início de 2002 o país ocupava o 2º lugar em nível de desemprego no mundo; em 2013 tivemos a menor taxa média de toda a história do Brasil (5,4%), menor que a dos EUA e de países europeus. Cinquenta milhões de brasileiros foram retirados da pobreza, 35 milhões ascenderam à classe média, e nossas seculares desigualdades sociais foram drasticamente reduzidas (70%).

Se é assim, e assim comprovadamente o é, por que o ódio de parcela aparentemente majoritária da classe média e alta brasileiras à presidenta? O que fez a presidenta para ser destinatária de vaias e xingamentos por si só injustificáveis? A grande mídia manipula, é vero, mas não pode ser responsabilizada sozinha.

Nenhum comentário: